Pilates: Nova Postura

PILATES: NOVA POSTURA

Uma nova postura para você. Um novo movimento para sua vida.

Você pode construir o corpo que você deseja! Ter um corpo jovem, flexível e saudável não é privilégio de quem tem pouca idade. O corpo é plástico e passível de mudanças em qualquer época da vida. Basta querer transformá-lo. O Pilates: Nova Postura pode lhe ajudar nessa tarefa.

Pilates: Nova Postura tem como eixo os princípios do Método Pilates e associa a eles conceitos de Rolfing, Polestar, Feldenkrais, Yoga, Iso Stretching, Fisioball, Gyrokinesis, Cadeias Musculares, e outras técnicas de conscientização corporal e teorias de controle motor.

Enriquecer ainda mais o Método Pilates com outras técnicas aconteceu a partir da necessidade de criar uma metodologia de reeducação do movimento que conduzisse o aluno à apropriação do seu corpo e da sua vida.

 

 

 

 

 

 

As aulas, ministradas de forma criativa e agradável, levam a resultados rápidos, eficazes e duradouros. Em pouco tempo você percebe mudanças, tais como

* Melhor postura

* Flexibilidade

* Força muscular

* Vitalidade física

* Mente revigorada

* Melhor circulação

* Aumento da capacidade respiratória

* Alívio de dores crônicas e tensões

* Redução do estresse

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O QUE É

Pilates: Nova Postura é um trabalho de reeducação do movimento, bimecanicamente estruturado, com ênfase na reorganização postural e nas diferenças individuais. Privilegia a qualidade do movimento e não a quantidade. O importante é o posicionamento correto do corpo e a maneira como os movimentos são executados. Trata-se de um processo consciente de conquistas de recursos neuromotores subutilizados ou adormecidos, e não de um programa de exercícios.

A essência do trabalho reside na busca e utilização de recursos pessoais através do movimento.

COMO É FEITO

* Aulas individuais, ou em grupos de no máximo 4 pessoas.

* Exercícios suaves e eficazes.

* Poucas repetições de cada movimento.

* Grande repertório de exercícios.

* Cada aula é única, evitando monotonia.

* Uso de aparelhos e acessórios criados especialmente para os exercícios.

* Resultados rápidos e duradouros.

* Construção de uma postura correta e natural.

* Não promove desgaste físico nem é extenuante.

Através de movimentos suaves, bem cuidados e grande repertório de exercícios o Pilates: Nova Postura motiva e desperta o desejo de se cuidar. Cada pessoa trabalha dentro dos seus limites, mas encontra sempre um desafio a conquistar.

Fortalecer o centro do corpo para movimentar-se com suavidade e equilíbrio é um ponto chave para ter uma vida saudável, segura e harmônica. É isso que o Pilates: Nova Postura oferece.

A partir de exercícios que aliam respiração, concentração, relaxamento e coordenação, é possível alongar, flexibilizar e tonificar o corpo, conquistando uma postura correta e natural. Este é o caminho que o Pilates: Nova Postura propõe para você conhecer o seu próprio corpo e transformá-lo sob o comando de sua mente.

Assim como o método Pilates, o Pilates: Nova Postura enfatiza a integração corpo e mente, mas com uma abordagem diferenciada.

O Pilates: Nova Postura utiliza recursos desenvolvidos por outros métodos para ensinar a recrutar as estruturas adequadas para realizar cada movimento, ajudando a construir artesanalmente uma melhor postura e um corpo mais forte, harmonioso e equilibrado.

Assim como o Método Pilates, o Pilates: Nova Postura é um método de exercícios que artesanalmente organiza, tonifica e flexibiliza o corpo sob o comando da mente, desenvolvendo uma fina sincronia entre mente e corpo, e orientando-os na totalidade do ser. Em ambos os métodos trabalha-se com muita concentração, buscando-se recrutar as pequenas estruturas responsáveis pelo movimento. O Pilates: Nova Postura concentra-se no uso das estruturas mais intrínsecas, trabalhando a partir das camadas mais profundas do corpo, de dentro para fora, para criar um corpo saudável, habitado por uma mente energizada e tranqüila. Neste método não se usam posições antinaturais ou repetições incessantes.

Trata-se de um trabalho suave, criativo e agradável e com poucas repetições de cada movimento. A tonificação e o alongamento acontecem simultaneamente. Fortalecem-se os músculos fracos, alongam-se os que estão encurtados e aumenta-se a mobilidade das articulações. Controle, precisão, respiração e diferenciação das estruturas criam um corpo balanceado, que se movimenta com fluência, graça e leveza.

Enquanto o Método Pilates se define como uma técnica de condicionamento físico, o Pilates: Nova Postura é um trabalho holístico de reeducação do movimento, com vistas ao desenvolvimento pessoal. Ensina pouco a pouco a construção do movimento. O condicionamento físico para nós é somente uma conseqüência do uso adequado do corpo e do aprendizado de movimentos saudáveis e equilibrados, feitos com consciência; esta sim constitui a essência e o propósito do trabalho.

Assim, enquanto o Método Pilates é um programa composto por uma série de exercícios repetidos a cada aula com maior ou menor grau de dificuldade, dependendo da capacidade do aluno, o Pilates: Nova Postura é um processo de desenvolvimento pessoal que usa o movimento como principal instrumento. Utiliza também o repertório desenvolvido por Pilates, mas a tônica do trabalho é a consciência e o crescimento do indivíduo através da reeducação do  movimento.

Busca ampliar a percepção dos alunos sobre as atitudes e emoções que se manifestam no corpo, e que facilitam ou dificultam a vida. Ultrapassa, portanto, o âmbito do exercício físico.

O Pilates: Nova Postura enfatiza a idéia de que a pessoa é uma unidade corpo-mente. O movimento ocorre no corpo, mas ele começa na mente. Então, a educação do movimento deve ser, antes de tudo, um treinamento da mente, e não apenas do corpo.  Nessa interface entre o corpo e a mente, o trabalho possibilita profundas mudanças emocionais. Assim, através de exercícios muito simples que equilibram força e flexibilidade, trabalha a perfeita harmonia entre o emocional, a mente e o corpo, na busca da qualidade dos movimentos. Embora o Método Pilates também se apresente como um trabalho que integra o corpo e a mente, o Pilates: Nova Postura enfatiza essa integração e se vê como uma abordagem completamente holística do ser humano. A diferença é que no Pilates: Nova Postura não se alcança essa integração mecanicamente, pela repetição constante de uma série ou programa de exercícios, mas organicamente, pela construção lenta e variada das  possibilidades de movimentação e uso do corpo.

O Pilates: Nova Postura enfatiza também que é a qualidade do movimento que determina a eficácia do exercício. A precisão e a qualidade do movimento se sobrepõem à execução de um exercício. Se a execução do exercício é a conseqüência e não o objetivo, não se deve executar simplesmente o exercício, mas percorrer lentamente o caminho do seu aprendizado. Realizar um exercício deve ser conseqüência da conquista feita na aprendizagem do movimento. Não se deve simplesmente utilizar o corpo para realizar o exercício, mas ao contrário, utilizar o exercício para conhecer o corpo e a si próprio.

O Pilates: Nova Postura foca o alinhamento postural e a educação corporal como metas do trabalho. O alinhamento postural é importante em cada exercício. Somente quando o tronco está estável e a coluna bem posicionada, pensa-se em alongamento, fortalecimento ou em movimentos distais. Embora o Método Pilates também contenha esse princípio, para o Pilates: Nova Postura o alinhamento postural não é somente uma condição para os exercícios, mas um objetivo a ser alcançado com a prática dos exercícios.

Tendo em vista essa ênfase no alinhamento postural e no aspecto holístico e integrado do trabalho, o Pilates: Nova Postura propõe uma prática diferente, que não segue a seqüência linear dos exercícios propostos por Pilates, mas fragmenta e reorganiza os exercícios de acordo com o processo de aprendizado de cada aluno, além de introduzir outros recursos e possibilidades de movimentos.

Com isso, além de tornarmos o processo mais orgânico e criativo, ele se torna também mais interessante e menos cansativo para o aluno, pois as aulas são sempre diferentes umas das outras.

Considerando que Joseph Pilates teve a vida e o seu trabalho pautados pela rigidez militar, pensamos que poderíamos flexibilizar um pouco o seu trabalho, trazendo movimentos de outras técnicas corporais para aumentar o repertório e o tipo dos movimentos realizados nos exercícios. Os exercícios de Pilates contêm poucas torções, círculos, espirais e movimentos de onda, que procuramos acrescentar nas aulas de Pilates: Nova Postura.

Além disso, algumas diferenças conceituais distinguem as duas metodologias. A casa de força descrita pelo Método Pilates teve sua compreensão  ampliada pelo Pilates: Nova Postura, conforme descrito acima.

Também outros conceitos biomecânicos foram introduzidos no ensino do movimento. A idéia de alongar-se no eixo longitudinal, desenvolvida pelo Rolfing, para nós é tão importante quanto ativar a casa de força na realização dos movimentos. A referência deste alongamento é uma linha imaginária que nasce na base da estrutura e percorre o centro do corpo, alongando-o sutil e eficazmente, com aumento de espaços entre as articulações e restabelecimento do comprimento das fibras musculares.

Outro conceito vindo do Gyrokinesis e utilizado pelo Pilates: Nova Postura é a idéia da 5ª linha. Toda estrutura tridimensional se organiza em torno de eixos: frente/trás, direita/esquerda e centro, este último é a 5ª linha. Serve como referência para a organização postural e alongamentos, evitando a hiperextensão das articulações.

Para nós, os alongamentos são intrínsecos, sempre feitos a partir do “miolo”, o que é de grande auxílio para a organização da estrutura durante o movimento do corpo.

No Pilates, observa-se a dependência de uma parte em relação à outra e das partes em relação ao todo.

Ao contrário da ginástica convencional, o Pilates: Nova Postura não trabalha com muitas repetições de um mesmo movimento. Não se automatiza um movimento, repetindo-o até à exaustão, pois compreende-se que a fadiga é contraproducente, e que mais vale estar atento aos movimentos e executá-los devagar, do que repeti-los muitas vezes com pressa e sem consciência.

De acordo com o Pilates: Nova Postura, o controle da mente sobre o corpo, ou consciência, previne a automatização dos movimentos e dispensa as inúmeras repetições. A qualidade dos exercícios é mais importante do que sua quantidade. A ginástica convencional se concentra em desenvolver mecanicamente os músculos maiores e mais externos, que se tornam fortes e volumosos, enquanto as estruturas menores e mais fracas ficam esquecidas. No Pilates: Nova Postura o fortalecimento dos músculos grandes é conseqüência do fortalecimento das estruturas mais intrínsecas, e trabalha-se simultaneamente alongamento e fortalecimento. O trabalho segue um caminho oposto ao da ginástica convencional: de dentro para fora. Na ginástica convencional, o foco geralmente está em uma parte do corpo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

HISTÓRIA

O Pilates: Nova Postura nasceu como resultado de uma longa busca de um trabalho de reeducação do movimento, biomecanicamente estruturado, com ênfase na reorganização postural e que, ao mesmo tempo, atendesse às diferenças individuais. A grande inquietação que Neuza Araujo experimentava, trabalhando com o Método Rolfing: Integração Estrutural (um processo de 10 sessões, que acarreta profundas mudanças posturais) referia-se à permanência dos resultados. Procurava um jeito de treinar o cliente para se apropriar deles, o que garantiria uma transformação mais efetiva.

Muitas metodologias foram experimentadas e pesquisadas nessa busca: Ginástica Holística, Reeducação Postural Global, Rolfing Movement, Cadeias Musculares, Ioga, Feldenkrais, Gyrokinesis etc e, em cada uma delas muito foi aprendido e houve também muitos ganhos e muita transformação…

Por mais de 2 anos Neuza Araujo vivenciou aulas diárias de Pilates, fez a Formação de Instrutora de Pilates pelo Physicalmind Institute, cursou Polestar Neuromuscular Education System e mergulhou na bibliografia sobre o Método Pilates, para conhecer visões de diferentes autores. Foi para Londres conhecer a metodologia “The Body Control Pilates” e o trabalho de Alan Herdman (“Pilates – Como criar o corpo que você deseja”) procurando encontrar uma sistematização de trabalho corporal que educasse as pessoas para se apropriarem das conquistas alcançadas.

Em 1999 começou a ensinar a construção do movimento aos clientes que atendia através do Método Rolfing: Integração Estrutural. Para tanto, usava recursos de várias técnicas aprendidas ao longo de seus 35 anos de trabalho como psicóloga e terapeuta corporal, e os resultados alcançados eram surpreendentes. Mudanças físicas e emocionais aconteciam com muita rapidez.

Com a prática e muita pesquisa, a metodologia foi se desenvolvendo e se estruturando e em 2002 foi formatado o Curso de Formação e Certificação de Instrutores de Pilates: Nova Postura. A formulação teórica e prática dessa metodologia foi desenvolvida e está escrita em 6 apostilas (com o total de aproximadamente 900 páginas) e registrada na Biblioteca Nacional.

O trabalho foi desenvolvido utilizando o eixo do método criado por Joseph H. Pilates. O Pilates: Nova Postura é um processo centrado no aluno/cliente, que imprime seu próprio ritmo e alcança resultados compatíveis com as suas possibilidades. Os exercícios são usados para levar o aluno/cliente a conhecer seu próprio corpo e descobrir como usá-lo de maneira econômica e saudável.

O Pilates: Nova Postura ensina ao aluno/cliente, passo a passo, a construção dos movimentos.“Somos colocados no mundo sem manual de instruções”, costuma dizer Neuza Araujo, criadora do método que ensina ao proprietário como usar o seu corpo de maneira biomecanicamente correta.

Os primeiros Instrutores de Pilates: Nova Postura foram treinados artesanalmente por ela. Com o Curso de Formação e Certificação de Instrutores, somos hoje aproximadamente 200 profissionais (certificados e em formação) espalhados pelo Brasil, de norte a sul.